10.31.2005

O HOMEM, A MULHER E SEUS SUBS

Mulher é o engenheiro do homem.

Homem gosta da mulher.
Mulher gosta do projeto.
Ao ver um homem do seu agrado
A mulher dirá

ESSE TEM CHANCE
PODE FICAR DO JEITINHO QUE EU GOSTO.

O homem
Percebendo o interesse da fêmea
Sendo humano - isso é: tolo -
Encherá o peito e pensará

ESSA TÁ NO PAPO.

Namoro iniciado e
Principalmente
Continuado

Desde seus sapatos
Á barriga
Passando pela quantidade do que bebe e come
Chegando ao caráter
À vontade de vencer
Que antes nem era tanta
Ao penteado e à pasta de dentes

Tudo será modificado.

Ao perceber o interesse da mulher
O homem não deverá jamais se achar o tal.
Melhor fará se pendurar uma placa no próprio peito
Onde esteja escrito

EM OBRAS.

Assim e só assim
- Inacabado -
O homem será desejado pela mulher.

Ou será mero interesse
Da sub-mulher
Pelo sub-homem.

2 comentários:

Aldo Votto disse...

A MULHER, O HOMEM E SEUS METAS
[Ou um comentário ao estilo de um debate]

Homem é o inquilino da mulher.

Homem não gosta de dizer que gosta da mulher.

Mulher gosta de gostar do homem.


Se vir uma mulher atraente
O homem dirá

DESSA GOSTEI
VOU TÊ-LA DE QUALQUER JEITO


A mulher
Sentindo o desejo do macho
Pensando-se deusa, isto é, romântica
Fechará os olhos e sonhará:

ESSE É O MEU PRÍNCIPE.


Encontro que não acontece e
Mais que tudo
Fica na intenção


Desde seus anéis
Ao peito
Parando nos seus gestos
Admirando o estilo
As poses de vencedor
Que para sempre serão fascinantes
Como os cabelos e a dentadura.

Tudo permanecerá indelével.


Ao perceber o interesse do homem
A mulher não poderá nunca se achar a única
Fará melhor se utilizar um crachá
Que diga

ESTOU A FIM, MESMO ASSIM.


E desse jeito e não de outro
- intocável –
A mulher terá a dedicação do homem

Ou será só devaneio
Da meta-mulher
Pelo meta-homem

Mario Benevides disse...

Caro Poeta Aldo,
Gostei muito da sua poética réplica. Vou comprar seu livro e pedir ao Fulgêncio que pegue seu autógrafo. De toda forma, a partir do Sábado 12/11, podemos combinar o café poético que vc propôs.
Grande Abraço,
Mario.