6.21.2005

DELAS E DELES

(1) DELAS

Delas, só se deve falar quando estiverem ausentes. De preferência, antes. Depois, não.

Cuidado: as portuguesas nos fazem suar muito; francesas exigem aquecimento; e as japonesas são quadradas.

Polonesas são diferentes das russas e as duas teimam em competir com as finlandesas.

Em certa medida, as escocesas são tão boas quanto as mineiras. Mas as nordestinas não ficam atrás, não; tampouco, dadas gaúchas e algumas catarinenses.

As fluminenses são capazes.

Cariocas, só as bebemos.

De aguardentes, só devemos falar pelas costas.

Se você se confundiu, lembre-se de não ser tão específico da próxima vez.

Ou preconceituoso...

(2) DELES

Vinicius de Moraes, na juventude, era preconceituoso. Não gostava do Jorge Amado, para depois viver e morrer amigo e fã dele. Endividava-se com os amigos e, depois, pedia desculpas. Dava o dinheiro que ganhava com seus shows a uma das ex-mulheres - talvez “aquela amada mais amada pra valer”, de todas que teve.

Rubem Braga, segundo Paulo Mendes Campos, era o lavrador do ar. Rubem morava em uma cobertura em Ipanema, onde possuía uma horta, onde Paulo fazia sua feira. Rubem, que foi correspondente de guerra e, em dada medida, causador de uma das separações e de um novo casamento de Vinicius; Paulo, que, segundo Drummond, era a lamparina capaz de acender outras - o poeta para poetas; Drummond, que era levado de carro por Vinicius para visitar uma amada proibida.

Fernando Sabino teve tantos encontros marcados que deixou um homem nu, do lado de fora.

Todos os citados, em maior ou menor medida, gostavam delas.

Que bom que seu preconceito ficou do lado de fora.

Junto com o homem nu.

3 comentários:

Manoela Pinheiro disse...

Um dos melhores textos que já li!

Anônimo disse...

Parabéns Mario, adorei seus textos e espero sinceramente estar presente no lançamento de seu livro,a Thammy me falou e fui conferir o seu trabalho! Falei a ela que vc é um pensador, mas não um Gabriel e sim um Mario Pensador!

Pensador não tão somente por ser um pensador sobre a essência e nossa existência, mas por nos fazer pensar!!

Paranbéns! o mundo precisa de poesia, sendo assim te agradeço por deixar-lo mais sutil!!

um grande abraço!!!

Zaira Sachetti
junho/05

Anônimo disse...

Mario,

Acabei de ler este texto. Adorei. Queria ter 1% da tua criatividade.

Rosangela