9.27.2014

POR QUE MARINA

Porque é preciso derrotar o governo que implodiu a Eletrobras, explodiu a Petrobras e paralisou a Economia.

Porque trocar ministros não fez como não fará diferença, porque é preciso mudar a cabeça, porque a cabeça é autoritária, dona da verdade.

Porque a opção Aécio é o voto útil – para Dilma.

Porque sair de um partido por convicções e valores está longe de ser o mesmo que um jogador de futebol trocar de clube - é, sim, o mesmo que Erundina fez, quando Lula aliou-se a Maluf.

Porque Marina defende o razoável: fim da reeleição, autonomia do Banco Central e o desenvolvimento sustentável – um conceito econômico, de crescimento econômico, muito diferente da paralisia ecoxiita aventada pela calúnia.

Porque Marina está muito bem cercada, desde o professor e pensador Eduardo Gianetti até o pragmático e bem sucedido André Lara Resende, um dos pais do Plano Real – alguém, hoje, seria capaz de criticar o Plano Real?

Porque, por se cercar bem, continuará se cercando bem - e compará-la ao Collor é erro de pessoa.

Finalmente porque endosso, omissão e tola insistência precisam dar lugar à esperança, à aposta, ao voto.

Em Marina.

Nenhum comentário: